Riscos da alta ou baixa calibragem dos pneus: dicas para não errar

Ao comprar um carro, o motorista se compromete a pagar as parcelas do veículo e ter os cuidados do dia a dia. Analisar a qualidade de itens de segurança e gasto de combustíveis são práticas essenciais para o bom desempenho de veículo e para evitar problemas nas ruas. A calibragem dos pneus é um desses itens que deve sempre ser observado, mas é constantemente esquecida pelos motoristas.

A calibragem dos pneus é feita colocando ou retirando ar do equipamento. O motorista vai até um mecânico ou posto de combustível, tira o bico da válvula, coloca a mangueira de calibragem e, no visor do equipamento, consegue ver qual a pressão dentro dos pneus. O valor ideal para cada carro varia de acordo com o tamanho e o modelo.

Ao calibrar o carro, o motorista deve ficar atento ao valor indicado para seu veículo, porque existem riscos tanto para pneus que estejam com pressão maior ou menor do que a indicada. Em ambos os casos o motorista poderá ter mais gasto de combustível e risco de furar o pneu enquanto estiver na rua. A pressão ideal evita essas situações, além de aumentar a durabilidade do pneu.

Quais são os problemas causados pela baixa pressão dos pneus?

A calibragem dos pneus é essencial para manter a durabilidade dos pneus e garantir a segurança dos motoristas.

Quando o pneu está com baixa pressão, a durabilidade dele é reduzida em cerca de 30%. A situação faz com que o carro fique sobrecarregado para continuar rodando, aumentando o desgaste.

Isso fará com que ele tenha uma deformação exagerada e, consequentemente, aqueça mais do que o normal. Caso o pneu rode muito tempo nessas condições, é possível que ele precise ser substituído por um novo, já que os danos serão irreversíveis.

É possível que ao passar em um buraco, por exemplo, o pneu fique 100% comprometido. Outra situação que também pode acontecer é de o pneu sair da roda. Por causa da baixa calibragem, o encaixe entre as duas peças pode ficar comprometido.

Além disso, a baixa calibragem dos pneus pode causar deslocamentos internos no pneu, aumentando o risco de explosão. O motorista também tende a ter mais dificuldade para dirigir, com a sensação de que o veículo está mais pesado do que o normal.

Outros exemplos de situações são a aquaplanagem e a redução na precisão da direção. Os dois casos podem causar acidentes graves e comprometer a saúde do motorista e de pessoas que estiverem envolvidas no acidente.

Caso a calibragem esteja baixa, basta ir até um mecânico ou posto e pedir para aumentarem até o valor indicado para seu carro.

Quais são os problemas causados pela alta pressão dos pneus?

Assim como acontece com a baixa calibragem dos pneus, a alta pode provocar problemas sérios. Há uma diminuição da durabilidade dos pneus, aumentando o risco de acidentes.

Por estar com muita pressão, o pneu fica com uma área de contato menor com o solo. Isso significa que, na hora que o motorista precisar fazer uma freada de emergência, por exemplo, o carro pode não obedecer ao comando corretamente, causando acidentes. Há uma diminuição de aderência muito prejudicial.

O conforto para dirigir também fica modificado. O motorista pode sentir que o carro está diferente do habitual, mais “duro” para realizar os movimentos.

Assim como a baixa calibragem, a alta também diminui a durabilidade do pneu, deixando-o mais suscetível quando cai em buracos ou é perfurado por alguma coisa nas ruas. Caso a calibragem esteja alta, basta ir a um mecânico ou posto e retirar um pouco de ar dos pneus.

Qual a importância da calibragem correta e como calculá-la?

Motorista deve se informar sobre o valor da calibragem na montadora do veículo.

Um dos maiores benefícios da calibragem correta é a maior durabilidade do pneu. Além de ter mais conforto na hora de dirigir, o motorista também evita gastos para resolver os problemas.

Outros pontos importantes são o aumento da segurança e o baixo gasto de combustível. Mais uma vez, o motorista economiza ao manter a calibragem dos pneus em dia.

Como já foi dito, é importante calibrar o pneu de acordo com o carro. Para saber qual a calibragem ideal para seu carro, consulte o manual, lá você terá a informação para uso regular do veículo ou quando ele estiver mais pesado.

Embora haja uma média indicada, algumas situações mudam o valor da calibragem, como o fato de o carro estar cheio de bagagens ou vazio, bem como se irá rodar em trechos urbanos ou rurais.

Não se esqueça que, além dos quatro pneus, é importante manter o estepe calibrado. Assim, se o motorista precisar trocar o pneu do carro depois de uma emergência, estará com o estepe pronto para ser utilizado.

Normalmente, indica-se que o estepe seja calibrado com um valor um pouco maior do que o indicado pela montadora, já que ele irá perder ar pela falta de uso. No entanto, busque informações sobre a melhor calibragem para o pneu.

Opte por calibrar o pneu antes de ter rodado muito com o carro, porque quando o pneu está mais quente o valor da calibragem pode não estar completamente condizente com a realidade. A indicação é que os pneus sejam calibrados a cada 15 dias.

Pneus sempre calibrados

Em prol da segurança e da maior durabilidade dos pneus, os motoristas precisam manter os pneus calibrados de acordo com o valor determinado pela montadora de cada um dos veículos.

A baixa calibragem dos pneus pode causar menor durabilidade, prejudicar a segurança e acarretar maior gasto de combustível. Além disso, há a hipótese de o pneu pode sair da roda, o que é muito grave. Nos casos de alta pressão, o pneu também dura menos, tem menor aderência com o solo, aumentando o risco de acidentes e gerando desconfortos na hora de dirigir.

Gostou das informações sobre calibragem dos pneus? Você pode procurar outros conteúdos relacionados no nosso blog. Deixe seu comentário ou sugestão. E aproveite para compartilhar este texto com seus amigos motoristas.

Share

Leave comment